Amigos da Xaxá

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Maine Coon uma paixão

Minha Bebe Maggie com 8 meses.


maine coon é uma das raças mais tradicionais e antigas da América e, inclusive, como o próprio nome da raça subentende, este gato é um dos símbolos do Estado do Maine, nos Estados Unidos.
Muitas teorias circulam ao redor da verdadeira história do maine coon. Algumas afirmam que sua cauda longa está relacionada a um parentesco com guaxinins, mas isso é pouco provável. As hipóteses mais plausíveis apontam para a descendência de gatos domésticos de pelo curto e pelo longo que chegaram às Américas em navios provenientes da Inglaterra, Noruega e outros países da Europa.

Características físicas do maine coon

Os maine coons são muito conhecidos e especialmente identificáveis pelo seu corpo, que se destaca entre as demais raças, e é aqui que entra a comparação entre esta raça e os cachorros: os gatos maine coon são uma das maiores raças de gato existentes, se não a maior! O maine coon é conhecido como o gato gigante.
Sendo gatos de clima frio, os pets da raça possuem pelagem longa e, até mesmo, resistente à agua. Sua cauda longa e muito peluda é ideal para ser abraçada por ele mesmo em busca de calor.
raça maine coon pode ser apresentada em todos os padrões e cores possíveis, exceto padrões de pintas. Estes gatos possuem olhos grandes, redondos e bastante expressivos, que podem variar entre tons de azul, verde ou mel. As fêmeas Maine Coon podem pesar cerca de 8 quilos, enquanto machos chegam a quase 10. O maine coon não para crescer até que eles estejam entre os 3 e 5 anos de idade!

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Gente chegando e outro partindo

Melina teve 12 filhotes
Sua primeira cria

apenas dois ficaram com a pelagem do pai 
Já vendemos duas aos 40 dias 

Melina é uma maezona 

segunda-feira, 20 de março de 2017

Tem gente nova no pedaço

Seu nome é Petrus

Seu nome é Melina

O Cane Corso Italiano é um cão robusto, ótimo guardião, possui  temperamento muito equilibrado e com ampla dedicação à família.
Sua função principal é a guarda de propriedade. Essa guarda é feita de forma equilibrada, não oferecendo risco ao convívio familiar, portanto é um ótimo cão de família também incluindo excelente convívio com crianças. O mais comum é que aceite bem pessoas estranhas ao dia-a-dia da casa, desde que apresentado pela família. Na ausência da família, o comum é que o cão estranhe e ataque o indivíduo que entrar na propriedade sem as devidas apresentações. Seu comportamento é sempre previsível o que favorece o seu controle. Por estes motivos é conhecido como “guardião inteligente”.

domingo, 1 de janeiro de 2017

Luto pelo pet

 falecimento de um ente querido, independente da espécie, pode ter um efeito devastador na vida do enlutado. No caso de perda de um pet, ainda há o agravante que os donos precisam lidar com o preconceito de ter sua dor por vezes menosprezada pela sociedade.
Mesmo sendo um período muito pessoal no qual cada indivíduo lida da maneira que sabe e pode, se conhecer e entender o processo do luto pode ajudar a compreender o turbilhão de emoções inerentes à perda.
Em conversa com a psicóloga Maíra Simeão, através de sua sensibilidade ímpar, podemos olhar com mais clareza a um dos momentos mais complexos e dolorosos da vida: a morte.
1. O que é o luto?
O luto é uma reação esperada diante da perda de algo significativo para o indivíduo, onde estão presentes diversas reações emocionais e fisiológicas, geralmente repercutindo nos mais diversos âmbitos da vida do enlutado. De modo geral, pode ser uma experiência bastante dolorosa e desorganizadora, mas é necessária para a superação da perda, e é fundamental que durante esta fase o enlutado possa manifestar seus sentimentos como forma de ir se organizando e se adaptando ás mudanças ocorridas.
2. Quais sentimentos são comuns em pessoas que experienciam o luto (ex.: culpa, negação, raiva e depressão).
São inúmeros os sentimentos que podem eclodir diante de uma perda. Há a negação, onde a pessoa tenta evitar o contato com a perda, não aceitando; há a raiva ou revolta, onde a pessoa se questiona porque isso aconteceu com ela, se ela merecia, etc.; há saudade e a necessidade de buscar e recuperar a figura perdida; há o choque, a depressão e desorganização, culpa, ansiedade, irritabilidade, solidão, desamparo, fadiga, pode vir também o alívio, etc.
Alguns escolhem ter um novo pet logo após a perda. Essa prática ajuda ou é mais um subterfúgio para não viver o luto?
Pode ajudar ou ser uma fuga do sofrimento, não existe uma regra para isto, vai depender de cada caso e é importante analisar qual a verdadeira intenção em ter um novo animal. Ocorre muitas vezes de “oferecerem” um novo bichinho para a pessoa que perdeu seu animal, ou ela própria opta por isto, pensando que assim não sofrerá ou sofrerá menos. Então, se a pessoa vai ou não ter um novo animalzinho, o importante mesmo é ter consciência que rejeitar ou suprimir o luto não auxilia em sua elaboração.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

17 de Fevereiro dia Mundial dos Gatos


Conhecido também como Dia Internacional do Gato, este dia foi criado em 2002 pela International Fund for Animal Welfare, para celebrar o animal de estimação mais popular do mundo. O gato é tão amado que não tem apenas uma data de celebração: a 17 de fevereiro também se celebra o dia mundial do gato, fruto de uma iniciativa de uma organização italiana de defesa aos animais, para proteger os gatos de perseguições e para promover as adoções de felinos.Quem tem um gato sabe que na verdade todos os dias são o dia do gato, já que este faz o que lhe apetece e é mimado pelos donos e vizinhos constantemente.
Neste dia pode agradecer a calma, a companhia e a felicidade que o seu gato lhe traz com uma prenda especial, como comida gourmet ou um novo brinquedo. Partilhar fotos nas redes sociais é outra hipótese de comemoração do dia mundial do gato.
Estima-se que existem 500 milhões de gatos no mundo, com predominância na Europa. Encontram-se referências à ligação dos gatos ao homem há cerca de 9500 anos. Como eliminador de ratos e de pestes, os gatos foram adotados nos lares e navios, chegando a todos os cantos do mundo. Já no antigo Egito os gatos eram venerados. Em caso de inundação salvavam-se os gatos primeiro e só depois os homens.